25% das cidades brasileiras possuem agrotóxico na água

Entre 2014 a 2017, um coquetel composto por diferentes tipos de agrotóxicos foi encontrado em 1 a cada 4 municípios do país. A análise foi feita em 1.396 municípios e detectou todos os 27 pesticidas que as empresas de abastecimento são obrigadas, por lei, a verificar. Destes, 16 são classificados pela Anvisa como extremamente ou altamente tóxicos e 11 estão associados ao desenvolvimento de doenças crônicas, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

Inúmeras cidades estão com situação alarmante no que diz respeito à contaminação de suas águas: Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Manaus, Curitiba, Campo Grande, Cuiabá, Florianópolis e Palmas.

Se os níveis de contaminação se manterem nesse ritmo, em alguns anos pode ficar difícil encontrar água sem agrotóxico nas torneiras do país. Segundo especialistas, os dados são preocupantes e demonstram um sério problema, uma vez que as substâncias encontradas apresentam risco à saúde.

A falta de monitoramento também é um problema grave. Dos 5.570 municípios brasileiros, 2.931 não realizaram testes na sua água entre o período citado, de 2014 a 2017.  Além disso, enquanto alguns produtos químicos encontrados na análise já possuem seu uso vedado na União Europeia, ainda têm a utilização permitida em nosso país.

Após a contaminação é muito difícil a restauração da qualidade da água contaminada. Sendo assim, o melhor procedimento a ser adotado contra tal situação é a prevenção. As empresas e a sociedade em geral devem buscar melhorias para esta realidade, uma vez que os resultados impactam diretamente na vida de cada um de nós.

Fonte: www.inbs.com.br

Deixe um Comentário